A busca da felicidade

    “O que eu posso fazer pra ser feliz?”. O segredo da felicidade ou a busca por ser feliz, se tornou uma epidemia mundial. Há um filósofo francês que disse que o mundo inteiro está em uma busca louca e desenfreada por ser feliz.

    Ser feliz é a bola da vez. Ocorrem dois equívocos no entanto, no que diz respeito a felicidade. O primeiro, está no fato de nós acharmos que a felicidade é uma coisa que eu posso adquirir. As revistas de famosos, os jornais, a mídia, todos os dias nos diz através de propagandas de carros, propagandas de anúncios de margarinas ou de bancos, que comprando isso que adquirindo aquilo, dessa forma eu então me tornarei feliz.

    Oscar Wilde no entanto, tinha certa razão quando disse que nesse mundo há duas tragédias. Uma é não conseguir o que se deseja, a outra é conseguir. Isso ocorre porque desejamos as coisas e dizemos: “quando eu tiver determinada coisa, aí então eu serei muito feliz”. “Quando eu conquistar determinado objetivo, quando conseguir comprar determinada coisa, aí então eu vou conseguir a felicidade plena”. E aí então a gente consegue, e quando a gente consegue, logo em seguida nós somos tomados por um desejo de conseguir alguma outra coisa, vem aquela sensação que bate o coração e diz assim: “Parece que não é bem isso que eu queria pra minha vida”.

    A felicidade não depende de bens materiais

    Perceba que a alegria da compra de um carro novo, não dura mais que duas ou três semanas. A nossa alma não fica satisfeita com coisas. Felicidade não é lucro, felicidade não é ganho. Outro equívoco com relação a felicidade, é nós acharmos e termos a expectativa de que ela seja pra sempre.

    Guimarães Rosa nos fala algo sobre isso quando diz: “Felicidade mesmo, ser feliz em estado permanente, não existe. Acontece, em raros momentos de distração”. O estar feliz, não é pra sempre e nem deveria ser, sabe porquê? A insatisfação, segundo dizem, é a mãe do progresso. Na nossa vida feliz, nós teremos tristezas, uma vida feliz não é uma vida sem nenhuma tristeza. Existe uma fórmula antiga em filosofia, para definir felicidade.

    Diz que felicidade, é igual a realidade menos expectativa. Mário Sérgio Cortella define felicidade como uma vibração da alma, intensa, onde você sente a vida te levando ao máximo, e isso não acontece constantemente, mas sim, em alguns pequenos momentos.

    Viva intensamente

    Felicidade é viver intensamente esses pequenos momentos que a vida nos proporciona. É justamente nesse desejo de fazer com que a vida fique vibrando constantemente e sempre, que muitas pessoas confundem felicidade com euforia, e desejam sentir-se eufóricas em todos os momentos da vida.

    E pra isso, recorrem a drogas, recorrem aos fármacos, recorrem a todos os tipos de coisas, bebidas, sexo, e constantemente, porque acham que manter-se nesses estados de euforia os tornará mais felizes. Acredito que para ser feliz, precisamos aprender a viver um dia de cada vez. Aquilo que nos ensina os evangelhos: “Basta para cada dia o seu mal”.

    Precisamos aprender a nos livrar um pouco desse desejo louco por euforia, precisamos entender que felicidade não é coisa, felicidade não é dinheiro, que felicidade não são coisas que são supérfluas, precisamos aprender que basta para cada dia o seu mal.

    Para Paulo, o apóstolo, felicidade está atrelada a contentamento. Contentamento é a capacidade de estar satisfeito. O contente desfruta a vida agora, ele sabe que não há vida amanhã, que o passado ficou para trás, e tudo o que ele tem é agora.

    Concentre-se nas pequenas coisas

    Eu preciso viver feliz agora. Um homem, caminhava por uma floresta, anoitecendo, escuro, de repente um rugido de um leão, o homem teve muito medo, começou a correr na escuridão, não via por onde ia, e precipitou-se num abismo. Na queda, agarrou-se em um galho de árvore que estava projetado sobre o abismo, e ali ficou pendurado entre o leão e o vazio.

    De repente, olhando para a parede no galho onde estava, viu uma plantinha, e na plantinha um fruto vermelho. Era um morango. Estendeu o braço, colheu o morango, e comeu. Estava delicioso. Felicidade é enxergar os morangos, felicidade é fruto na beira do abismo, é preciso colhê-los hoje.

    Amanhã, ou ele já caiu, ou você já caiu. Felicidade não é uma coisa que acontece depois do casamento, depois da formatura, depois de ficar rico, depois da construção da casa própria. Felicidade não é um lugar ao que se chega, felicidade não é uma coisa que se adquire, felicidade é um jeito como você vai. Eu espero, profundamente, que você seja, de verdade, feliz! .

    Poderá ver o vídeo no youtube Aqui

    Share This